Como criar um hackerspace

De Garoa Hacker Clube
Ir para: navegação, pesquisa

Quando damos palestras ou participamos de eventos falando sobre o Garoa, frequentemente somos procurados por pessoas ou grupos interessados em criar um hackerspace em sua cidade.

Seguindo um dos principais objetivos do Garoa, que é fomentar a criação de novos hackerspaces pelo Brasil, esta página foi escrita exatamente para colaborar com essas pessoas.

Acreditamos que os passos e dicas descritas brevemente abaixo possam ajudar qualquer grupo interessado em formar um hackerspace. Fique à vontade para adaptar nossas dicas para a realidade da sua cidade ou de seu grupo.

TL;DR

Para quem não tiver paciência de ler tudo, segue um guia muito rápido sobre os primeiríssimos passos de um hackerspace que vai poupar milhões de threads inúteis em listas de e-mail:

  1. Não se apeguem aos detalhes. Alguém precisa tomar a frente e fazer algo diferente de discutir sexo dos anjos ou falar "que legal!".
  2. Deixem o nome para depois, quando o grupo já estiver coeso. Seu hackerspace pode se chamar Hackerspace NOMEDACIDADE até o grupo, sem pressa e harmoniosamente, chegar a um nome com o qual se identifica.
  3. Alguém com iniciativa deve criar uma lista de e-mail chamada hackerspace-nomedacidade em qualquer lugar (yahoo, google, riseup, whatever). Depois vocês mudam de lugar, servidor próprio, não importa! Mas criem UMA lista de e-mail, pra ontem! Lá vocês discutem idéias, detalhes, nomes e todo o mais. Deixem facebook, twitter blog, site, forum e etc para depois.
  4. Convidem pessoas com interesse na iniciativa para entrarem nessa lista.
  5. Marquem um encontro PRESENCIAL, de preferência num lugar de fácil acesso para quem é da região. Pode ser um espaço em alguma faculdade, uma praça ou um parque, por exemplo. Não recomendamos um bar: a chance de todo mundo cair na cerveja e não decidir nada é imensa. Deixem o bar para depois da reunião!
  6. Assim que tiverem um grupo coeso, procurem um local e estabe;eçam um prazo para fazer as coisas acontecerem

Isso vai garantir, ao menos, um dos dois elementos fundamentais em um hackerspace: hackers!

Inspirado pelo post do Renne Rocha do LHC na thread sobre o hackerspace no ABC

Mais informações

Essencial

Básico do Básico

Nossa primeira recomendação é que você deve ter em mente que um hackerspace é um clube técnico e recreativo, um espaço criado e mantido pelos hackers e para os hackers (ao menos em espírito) para a prática do hacking e nerdices randômicas. E se você acha que isto não é recreação ou está pensando em montar um espaço para a prática de negócios, talvez o que você deseja não é um hackerspace - pode ser um coworking ou um medialab, que também são espaços legais e de colaboração mas não são um hackerspace.

Por outro lado, pelas atividades e experiências que normalmente ocorrem em um hackerspace, é natural surgir entre participantes a idéia de se formar outras iniciativas como, por exemplo, start-ups e novos negócios. Mas tais consequências devem ser naturais e independentes, não a motivação principal da entidade e devem ser mantidas fora do espaço para evitar futuros conflitos. Lembre-se, ele deve ser um espaço recreativo e se ele surgir com um objetivo diferente, ele essencialmente já nascerá corrompido.

Bibliografia elementar

Nós mantemos uma página com dúvidas comuns sobre a criação de um hackerspace. Certamente ela vai responder muitas dúvidas que tantos outros já tiveram.

A segunda recomendação é ler e analisar o Hackerspace Design Patterns.

Esse documento, publicado originalmente por hackers alemães e posteriormente traduzido e adaptado, pode ser entendido como um conjunto de práticas elaborado a partir de anos de experiência em vários hackerspaces. Pode não ser o melhor para a sua realidade local, mas certamente é uma boa fonte de soluções testadas para problemas recorrentes e comuns ou, no mínimo, inspiração. Ele também tem várias dicas sobre o que NÃO fazer.

Este tumblr diz tudo sobre a operação quotidiana de um hackerspace.

Consulte também as páginas da Categoria:Meta.

Nucleação

Massa Crítica

Este etapa, também conhecida como padrão massa crítica de sustentabilidade, consiste em reunir um grupo inicial de pessoas interessadas na formação do hackerspace. Não precisa - e nem deve - ser um grupo muito grande. Cerca de 10 pessoas já é suficiente para começar. É interesante ter um grupo heterogêneo, para atrair novos interessados mais facilmente: estudantes, profissionais do mercado, engenheiros, desenvolvedores, membros da comunidade local de software livre, profissionais de segurança, artistas digitais, biólogos, etc.

Canais de comunicação

Já que (esperamos) você leu o Hackerspace Design Patterns, iremos dar mais algumas dicas sobre o padrão da comunidade de sustentabilidade. E não é por causalidade que ele tem este nome, este é um passo fundamental enquanto a iniciativa ainda é virtual.

Crie um pequeno site e uma lista de discussão para divulgar a idéia, facilitar a interação entre as pessoas interessadas e para permitir que mais pessoas entrem em contato com vocês e comecem a participar.

  • O site pode ser uma página estática ou, preferencialmente, um wiki. O uso de um wiki é ideal pois permite a criação de um site colaborativo, bem de acordo com o espírito colaborativo dos hackerspaces. Recomendamos o MediaWiki, que é um software livre com uma enorme base de usuários (é o software utilizado pela Wikipédia).
  • Também é uma boa ideia criar uma página no Facebook e contas no Twitter e/ou no Identi.ca, pois ajudam na divulgação. No entanto, use-os apenas como ferramenta de disseminação de informação, e mantenha a sua informação armazenada primariamente em um local que esteja sob o seu controle - o wiki, por exemplo.

Escolha um nome

No começo pode-se usar um nome provisório. O Garoa chamou-se "hackerspace-sp" enquanto não existia uma boa ideia. Com o tempo, o pessoal vai se conhecendo, o hackerspace vai criando sua identidade, e as boas ideias surgirão naturalmente.

Use a criatividade, sem parcimônia. Referências locais são bem vindas, uma vez que reforçam a ideia de que o hackerspace é um espaço físico inserido em uma determinada região geográfica.

E não tenha receio de colocar o termo "hacker" no nome. No caso do Garoa, é nosso objetivo "promover os ideais da ética hacker perante a comunidade e o poder público, esclarecendo desentendimentos acerca do termo". Ter "hacker" no nome é um bom começo, e provavelmente também é a única maneira de se ter um cartão de crédito com a palavra "hacker" em alto relevo ;D

Pensem também em um logotipo. Logotipos simples e bidimensionais são bons, pois você pode cortá-los a laser ou em uma CNC, fazer Stencil e também camisetas baratas.

Vincule-se com a Comunidade Global

Cadastre a iniciativa no site Hackerspaces.org, que mantém uma lista de hackerspaces em formação. Isso vai ajudar a trazer novas pessoas interessadas, ou até colocá-lo em contato com um grupo na sua cidade que já teve a mesma ideia.

Divulgue a idéia

Anuncie entre grupos locais que possam ter interesse em participar. Isto inclui faculdades, profissionais de TI, e, principalmente, grupos, coletivos e comunidades que possam existir na sua cidade, como grupos de Software Livre, Arduino e desenvolvimento. Se tiver a oportunidade, realize palestras sobre o projeto de criar um hackerspace em algum evento ou faculdade, para atrair mais interessados.

Faça uma chamada para fundadores

Isto funcinou para muitos fundadores e foi fundamental para o Garoa. A Chamada Fundadores ajudou-nos a criar um grupo inicial forte e comprometido com a idéia e também a formar um caixa inicial, que usamos para pagar os primeiros aluguéis e comprar os primeiros equipamentos. A chamada foi amplamente divulgada em grupos de potencial interesse na etapa de nucleação, e acabou trazendo muita gente ao longo do processo.

Formação e planejamento

Marque encontros presenciais

Que sejam informais, para as pessoas começarem a se conhecer. Pode ser um happy hour, pode ser durante algum evento de tecnologia local, em um parque durante o final de semana, etc. O componente presencial é fundamental para um hackerspace, e realizá-los desde a etapa de nucleação fortalece o grupo.

Defina uma agenda

Assim que houver um grupo suficientemente interessado em montar o hackerspace, deve-se estabelecer um prazo ou uma data-alvo para começarem a funcionar. As coisas funcionam bem melhor quando temos prazos. O grupo de pessoas não precisa ser grande, mas sugerimos que tenha pelo menos 10 pessoas realmente interessadas e comprometidas. Também sugerimos um prazo de 6 meses: é o suficiente para atrair mais pessoas, juntar os recursos e não perder a motivação. Seis meses também são suficientes para fazer a lição de casa: juntar um pé-de-meia para comprar equipamentos essenciais e encontrar um espaço físico.

Faça um planejamento

  • Um erro comum é o de se prolongar muito o processo de planejamento inicial, que pode matar a iniciativa no ninho. Portanto comecem a discutir e logo partam para ação.
  • Prepare-se para começar a organizar o hackerspace: tomar as decisões, juntar e administrar o dinheiro.
  • Comecem a operar informalmente e não se preocupe com o registro legal (estatuto, etc) do hackerspace no começo. Primeiro coloque-o para funcionar, de preferência em um espaço permanente. Se não for possível, procure realizar encontros presenciais regulares, sempre em um mesmo local.
  • Faça um planejamento financeiro: estimativa dos custos (aluguel, água, luz e Internet) e defina qual o valor mínimo necessário para manter o espaço. Use isso para definir um valor de mensalidade para os sócios.
  • Escolha alguém responsável para cuidar provisoriamente das finanças, durante o processo de fundação, e crie uma conta bancária temporária para juntar o dinheiro. Pode ser uma conta conjunta no nome de duas pessoas de confiança do grupo, sempre gerida com transparência. Quando o hackerspace tiver um CNPJ e for aberta uma conta, o saldo da conta temporária pode ser transferido como doação para a conta PJ do hackerspace.
  • Busque formas alternativas para arrecadar dinheiro além das mensalidades, como festas e venda de camisetas ou brindes. Mas fique atento ao anti-padrão de patrocínio - ele é preciosidade! Cuidado com parcerias estranhas que podem se tornar a ruína de seu clube recreativo.

Faça um pé-de-meia

Um hackerspace custa dinheiro e, como já explicamos anteriormente, o melhor dinheiro para pagar as contas é o nosso próprio. Por outro lado, é extremamente difícil achar gente disposta a colocar dinheiro em algo que ainda não existe (e provavelmente ainda vai demorar um pouco para se concretizar) e que por definição não dará retorno financeiro direto.

Um hackerspace que começa sem recursos tem um enorme potencial de definhar rapidamente, mas um período de arrecadação muito longo pode desestimular o grupo. Desse modo, deve-se primeiramente estimar um custo mínimo mensal: aluguel/contas de um espaço físico e mais um extra para reformas, adequação de instalações e equipamentos essenciais. O próximo passo é compor um fundo de reserva que possa cobrir esse custo mínimo por 6 meses (shit happens...).

A maneira que encontramos para compor esse fundo foi o "aporte de fundação". Os interessados em ingressar como "fundadores" do hackerspace tem um prazo (até a data-alvo mencionada acima) para doar um "aporte de fundação", um valor que será usado para criar o hackerspace, pagar os primeiros aluguéis e cobrir eventuais despesas legais.

O valor do aporte de fundação deve ser calculado de modo que não seja proibitivo, mas também deve ser maximizado, dentro do possível, e suficiente para compor o fundo de reserva. Veja como fizemos no Garoa:

Em uma reunião com cerca de 20 pessoas, começamos perguntando quem estaria disposto a fazer um aporte mensal de R$1000 - nenhum voluntário. Baixamos para R$500 - 1 voluntário, totalizando R$500 por mês. Baixamos para R$200 - 5 voluntários, totalizando R$1000 por mês. Baixamos para R$100 - 10 voluntários, totalizando R$1000 por mês. Baixamos para R$50 - 15 voluntários, totalizando R$750 por mês. Desse modo, definimos o valor do aporte de fundação para R$100 por mês (ou R$600 ao final de 6 meses), pois era a alternativa que maximizava tanto o montante arrecadado quanto o número de pessoas (diminuindo o impacto caso alguém pulasse fora).

Iniciando a operação

Uma vez que se tenha uma massa crítica suficiente e um caixa inicial, conforme o planejado, cada minuto sem ter um hackerspace operando é tempo perdido.

Procure uma sede

No início, é muito conveniente operar o hackerspace em um espaço sublocado ou cedido por outra entidade com interesses em comum. Caso isso não seja possível, pode-se assinar um contrato de aluguel no nome de membros, mas tendo em vista que é algo provisório, pois pode causar tensões com quem está com o c* na reta.

O imóvel ideal está em um local acessível, com bastante transporte público, e em um local onde é tolerável fazer barulho: pense que no hackerspace haverá inúmeras fontes de ruído como gente, festas e serras elétricas. E, acima de tudo, tem um preço camarada!

Pense no modus-operandi

Lembre-se que o combinado não é caro, e nestes momentos de definição é uma boa medida utilizar intensamente o padrão democracia de resolução de conflitos.

É muito importante que tudo seja colocado de maneira bastante clara e objetiva. Por exemplo, quem pode participar dos processos de decisão, como as obrigações são distribuídas entre os membros, o que pode e o que não pode ser feito no espaço.

Não significa que tudo precisa ser formal e quadrado, mas procure descrever como a coisa deve funcionar, mesmo que seja em papel de pão. Recomendamos o wiki para registrar reuniões, decisões, resultado de discussões, pois as pessoas tem memória volátil, ainda mais quando o clima esquenta.

  • Comece a pensar em um Estatuto e um Regimento Interno, que vão descrever o funcionamento administrativo do hackerspace, e quem serão os reponsáveis por esses processos.
    • Preferencialmente, pensem no o estatuto apenas após estarem estabelecidos e funcionando, para que ele reflita o que o hackerspace realmente é, caso contário será um documento esquecido e que só servirá de entrave.
    • O Estatuto deve ter, antes de mais nada, o que é exigido por lei: como são aceitos novos sócios, seus direitos e deveres; quais as responsabilidades da diretoria e do conselho fiscal; o processo de escolha dos diretores e conselheiros, normalmente realizado em uma assembleia geral aberta a todos os associados; e em que condições o hackerspace pode ser desfeito (esperamos que nunca precisemos aplicar isso!!!).
    • À parte das exigências legais, o estatuto também deve refletir como o hackerspace funciona. Mesmo tendo uma "diretoria executiva" eleita, conforme exigido por lei, quem toma as decisões no Garoa são todos os membros dispostos a participar, através do "Conselho Manda-chuva". Qualquer membro pode participar do conselho e a diretoria executiva tem apenas um papel de responsabilidade. E, na prática, a grande maioria das decisões acaba sendo tomada por consenso.
    • Nosso Estatuto foi bastante pensado nessa linha e pode ser usado como modelo.

Agenda de Atividades

Após terem uma sede criem uma agenda de atividades periódicas, para começar a desenvolver projetos e a atrair pessoas interessadas.

Projetos

Não gastem tempo de planejamento pensando em projetos para o hackerspace. Os projetos surgirão espontaneamente uma vez que uma infraestrutura mínima esteja instalada e o espaço seja frequentado, e é assim que deve ser.

Registro formal

Operar na informalidade geralmente é um bom primeiro passo, mas tome cuidado para que ele seja o mais breve possível, pois a prolongação desta etapa pode se revelar um grande problema.

Algumas dicas:

  • Procure um advogado e um contador de confiança para ajudá-los com a constituiçào jurídica do Hackerspace. Nesta hora, surgem milhões de dúvidas e facilmente ouvirão opiniões e recomendações divergentes.
  • É fundamental encontrar um contador que já tenha experiência com associações (em juridiquês, pessoa jurídica de direito privado sem finalidade econômica), pois essa é a forma como um hackerspace deve ser constituído juridicamente. Se um contador recomendar que você abra o hackerspace como uma empresa, fuja dele imediatamente. Um hackerspace não é uma empresa, portanto não deve ser registrado como uma empresa.
  • Uma associação pode requerer o status especial de "Organização da Sociedade Civil de Interesse Público" (OSCIP) desde que seu estatuto atenda a algumas condições, como a diretoria não ser remunerada, ter um conselho fiscal e, em caso de dissolução, todo o patrimônio ser doado para o governo ou para uma entidade afim e não dividido entre os sócios, entre outros. Esse status confere privilégios especiais à entidade, como isenções tributárias e preferência em editais do governo, etc. No entanto, esse status exige um maior rigor na operação fiscal e tributária da entidade.
  • Uma OSCIP é bem mais complicada de gerir, pois demanda um overhead administrativo desnecessário. Nós chegamos à conclusão que isso não era vantajoso, ao menos por ora, mas elaboramos o nosso estatuto de modo que ele atendesse aos requisitos para um dia vir a ser OSCIP.
  • Ser uma "associação sem fins lucrativos" significa que o hackerspace não poderá distribuir o lucro fiscal (o que resultar das receitas menos as despesas) entre seus sócios. Na prática, todo o lucro é investido de volta no próprio hackerspace, como através da compra de equipamentos, melhorias na sede, etc.
  • O regime jurídico de associação sem fins lucrativos envolve, obrigatoriamente, uma Diretoria e, acima dela, uma Assembleia Geral formada por todos os associados. E isto é, na nossa visão, o que um hackerspace deve ser do ponto de vista de governança: ao menos as decisões mais importantes (como alterações no estatuto, eleição de diretores e prestação de contas) devem ser tomadas democraticamente por todos os sócios.
  • O contador e o advogado devem ajudar a criar o estatuto e devem revisar o resultado final, para garantir que eles estejam de acordo com a legislação e as necessidades fiscais e burocráticas.
  • Após o registro do estatuto e do CNPJ, abram uma conta corrente para começarem a movimentar dinheiro em nome do hackerspace.
  • Dependendo do enquadramento fiscal, o hackerspace poderá emitir nota fiscal ou recibo. Verifique isso com o contador e tenham muito cuidado no processo de abertura para que não seja feito um enquadramento errado.


A Festa ou o Churrascker 0!!!

Não deixe de fazer uma festa de inauguração e não se esqueça de convidar-nos!!!